.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30

.mais sobre mim

.Se me quiseres escrever...

kita19@gmail.com

.pensamentos recentes

. Saudade

. Diving...

. Revelações

. Porquê...

. Vazio

. Portrait

. Chuva de letras

. Escrever

. Elogio ao amor

. Tired...

.pensamentos passados

. Setembro 2011

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

.pensamentos à deriva

.visitas







.tags

. 18anos(1)

. 3 caminhos(1)

. alemanha(1)

. alexandre o'neil(1)

. alma(3)

. amar(1)

. amizade(1)

. amor(7)

. aniversário(3)

. avô(2)

. azul(2)

. buppy(1)

. caixinha(1)

. calma(1)

. citação(2)

. citação minha(1)

. d38(8)

. dalai lama(1)

. deambulações(1)

. desalento(1)

. descontentamento humano(1)

. desistir(1)

. divagações(1)

. erasmus(2)

. escola(2)

. escrever(2)

. esp(1)

. estágio(3)

. etiquetas(1)

. eu(1)

. faces(1)

. fachada(1)

. faithful(1)

. felicidade(3)

. fidelidade(1)

. filho(1)

. filosofias(1)

. free(1)

. funeral blues(1)

. futuro(1)

. gouveia(2)

. granja(1)

. grito(2)

. grupo(1)

. homossexualidade(1)

. ignorada(1)

. incêndios(1)

. incompreensão(1)

. insistir(1)

. inspiração(1)

. interior(1)

. irmão(4)

. jardim botânico(1)

. john lennon(1)

. karate(2)

. lágrimas(1)

. lembrança(1)

. liberdade(6)

. loucura(1)

. lua(1)

. mãe(2)

. mar(7)

. mariana(1)

. memórias(1)

. metamorfose(1)

. modelo(1)

. mudança(1)

. mundo(1)

. não desistir(1)

. natal(2)

. neve(1)

. optimismo(1)

. pais(1)

. palavras(5)

. parabéns(1)

. paz(2)

. penacova(1)

. pensamentos(5)

. pensar(2)

. pensativa(1)

. perdida(2)

. perseverança(1)

. poema(5)

. portugal(2)

. razão de escrever(1)

. realidade(1)

. recordações(3)

. reencontro(2)

. regresso(1)

. renascer(1)

. retrospectiva(1)

. roberto(2)

. saudade(1)

. saudosista(2)

. sentimentos(7)

. sintra(2)

. solidão(3)

. sonho(10)

. vida(5)

. voar(2)

. todas as tags

.favorito

. Mais uma vez...

. Saudade

. Metamorfose

. O sonho...

Cambridge Dictionaries Online


Este é o meu cantinho onde guardo os meus pensamentos, os meus sentimentos que vao percorrendo a minha vida e o meu mundo...

Terça-feira, 10 de Julho de 2007

Película de filme

The garden of my memories...

 

Respirei-te de novo esta manhã.

 

Cada sítio, cada lembrança, cada pedaço de momento contigo entram dentro de mim com uma força inimaginável. Sinto um sentimento estranho, não sei se de prisão, se de liberdade... minha alma ressuscita dando ao passado a força daquelas ondas.

 

 Só o meu mar consegue quase mexer tanto comigo como quando as tuas recordações voltam. Sim, como uma alma partida me disse, este Amor é como as ondas do mar, vai e vem. Mas está sempre aqui. Como tu.

 

 Inspiro as recordações no silêncio das imagens que vou passando na minha mente, como uma película fotográfica ou de cinema. Não compreendo como te consigo recordar e não sentir raiva ou qualquer espécie de sentimento negativo em relação a ti. Só pode ser porque o que um dia senti foi tão forte que até o que passei por ti conseguiu superar.

  

E no fundo, acredito que não tiveste culpa. Não acredito que imaginasses sequer o que estava a passar e nunca fiz questão que soubesses. Deste-te a conhecer o suficiente para eu não o querer. 

  

Passei há pouco no Jardim Botânico e olhei a paisagem que vimos naquele dia juntos. O único em que teria hipóteses e as desperdicei de forma tão estúpida... Vi-te de novo, sentei-me naquele banco, inspirei o nosso ar e soube naquele momento que nunca irei conseguir deitar fora estas recordações. Nunca conseguirei desfazer-me das chaves com que te encerrei no meu peito naquele dia junto ao mar. Nunca terei força para deitar aquela caixinha fora onde te guardo em pedaços de papel... e aquele teu poema, aqueles...

 

 Partilhaste-te tanto comigo. E, apesar de tudo não ter passado de uma peça de teatro viva, tenho, no fundo, de me sentir lisonjeada por uma alma tão cinzenta de vida, tão fechada em si mesma se ter conseguido abrir...

 

 Tenho a vontade secreta de um dia voltar a falar contigo. Saber se ainda és o mesmo que conheci um dia. Mas não te abririas de novo comigo... não como um dia o conseguiste fazer. Porque dizias que me amavas. Só não conseguiu ser um amor como o meu. Ou não teria morrido assim...

  

Sei que vais estar sempre presente, como as minhas ondas daquele meu mar que me deu a possibilidade e a força de voltar a viver depois de ti. Criaste-me um novo eu. Sinto-me mais forte e sei como o amor pode ser doloroso e tão bonito. É como nos vejo.

 

 "Nós". Só houve um dia entre duas almas que falavam...

 

(a minha vai continuar a ecoar o teu nome...)

De uma forma ou de outra

Sempre te amarei.

Do meu jeito.

TK

 

 

Kita, 10 de Julho de 2007 (Coimbra)

sinto-me: a recordar...
pensamento solto por Kita às 11:17

link do pensamento | solta o teu pensamento | favorito
2 comentários:
De Monólogos.by.Paula a 11 de Julho de 2007 às 21:29
Kita,

Li de seguida os teus dois últimos posts de seguida. De imediato percebi que se completavam.

Ao ler-te, talvez por passar por um momento muito semelhante ao teu, em que as recordações tornam demasiado frescas todas as situações anteriormente vividas, senti os olhos turvos.

Ausentei-me, voltei e reli-te. A ler-te revi-me. Senti cada palavra como minha. Senti cada emoção à flor da pele.

Não sei muito bem que mais te possa dizer, pois como já percebeste também eu estou assim.

Deixo-te uma beijoca cheia de carinho
Linda,
De Mary a 13 de Julho de 2007 às 22:03
Olá Kita!
Obrigada pelas tuas palavras. É sempre bom ter a tua visita!
Conheces o sentimento que assola a nossa alma a cada pequena lembrança que associamos áquele tempo em que fomos plenamente felizes. Compreendes a incapacidade que temos perante um amor que não permite que o esqueçamos, que é demasiado forte para o eliminarmos. É diferente, é único e é eternamente inesquecível.
Sempre que quiseres passa no meu cantinho, gosto imenso de te ter por lá.
Beijinhos.
Mary

comentar pensamento